5 de set de 2016

Roda de conversa no Odarah Cultural 1

Vivi uma experiência incomum e inesquecível no último sábado, dia 3 de setembro.
Fui convidado para participar de uma 'Roda de conversa' sobre A RELIGIÃO MAIS PRETA DO BRASIL junto com a mediadora Fabíola Oliveira que é produtora executiva do Odarah Produção Cultural afirmativa e o  Babalawo Ivanir Dos Santos (CEAP - Centro de Articulação de Populações Marginalizadas) 




Começo perguntando: 'QUAL É O GRUPO RELIGIOSO QUE TEM O MAIOR NÚMERO DE INTEGRANTES QUE SE ASSUMEM NEGROS, NO BRASIL?'
(    ) O Candomblé    (    ) A Umbanda    (      ) Os Evangélicos   (      ) Os Católicos

Se você escolheu o grupo dos evangélicos, acertou.
De acordo com o Censo do IBGE de 2010 é massacrante a quantidade de negros nas religiões evangélicas, especialmente no grupo denominado Pentecostal.

IBGE 2010 
População                     190.755.799
Evangélicos                     42.275.440
Umbanda e Candomblé         588.797

Foi fundamentado nesta informação e tantas outras que li o livro, 'A religião mais negra do Brasil - por que os negros fazem opção pelo Pentecostalismo', de Marco Davi de Oliveira, reedidado em 2015, pela Editora Ultimato

Apresentei minha fala em três tópicos:
1. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa
O objetivo foi 'abrir o saco' e mostrar que existe uma pluralidade imensa no 'saco em que enfiaram 'os evangélicos'.
2. "Lá vem o 'negão'..."
Porque os negros fazem opção pelo Pentecostalismo?
3. 'Negro é o teu passado'
Afinal, se somos tantos, que discurso afasta os negros do movimento de igualdade e quais os desafios para o engajamento?

Nenhum comentário:

Postar um comentário