30 de dez de 2015

Como retribuir?





Como posso retribuir ao Senhor toda a sua bondade para comigo?

Impossível ficar passivo, não senti-se tocado, emocionado tento a experiência que vivi ontem. Basta ter um mínimo de memória para recordar o vale que esses quatro viveram com a doença da pequena Gabi. 
A notícia chegou aqui no Rio como uma bomba. Não foram poucos os momentos em que a notícia vinha e produzia  lágrimas, angustia, dor, e intercessão. A determinação, a absoluta entrega aos cuidados divinos e o total respeito às minimas orientações médicas que essa dupla (Gisele e Ernani Jr) tiveram que suportar é de encher qualquer agenda de atleta olímpico. É claro que não faltou acolhimento e encorajamento da tia Elza, do tio Toninho dos irmãos, cunhados e de toda família. A de sangue e da do sangue de Cristo.
Histórias assim, tão próximas da gente, sacodem a 'caixola' e denunciam nossa fragilidade diante das circunstâncias da vida. 
Com a ajuda de Deus eles estão vencendo e, mais do que isso, vivendo.
O salmista enfrenta momento semelhante. Ele sofre, suplica e se rende. O poeta tem tamanha consciência da impotência diante da vida que quando experimenta extraordinária salvação imediatamente, quase num impulso, deseja retribuir.
Como retribuir, devolver, manifestar gratidão diante do dono de tudo?
A resposta é clara: Nada posso dar, nada posso fazer.
Aí bate uma frustração a gente imagina alternativas, relaciona o mais valioso que temos até que, não tem jeito, a rendição é total.
A conclusão: Não sou nada, mas tudo que sou e tenho te dou.
Curioso é o que acontece. 
Deus devolve a nossa vida e, como pai amoroso que é, diz:
Tome sua vida, viva, viva!
Viva intensamente!
Viva amorosamente!
Viva de forma criativa!
Viva de maneira graciosa!
Viva, pois foi para isso que estive aqui.
Viva da graça!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário