2 de fev de 2016

Raabe - Ela escolheu acreditar, aceitou ajudar e decidiu confiar

   Sou Raabe e a primeira coisa que falam de mim é que sou prostituta, mas o motivo que levou-me à prostituição ninguém procura saber.
   Sou de família pobre, da classe mais baixa da sociedade, com pai e mãe idosos, irmãos e outros para sustentar.
   Na época, a sociedade patriarcal não valorizava a mulher que não era contada no censo, nem tinha acesso ao estudo ou ao mercado de trabalho.
   Família que não tinha escravos, era a mulher responsável por todos os serviços domésticos, inclusive pegar água no poço e, se necessário, ajudar também na lavoura.
   Outro motivo que levava à prostituição era o abuso sexual que a mulher sofria desde a adolescência, depois era marginalizada e considerada culpada.
   Alguns pensam que é opção da mulher, mas vou mostrar, com a minha vida, que não é assim.
   Sou uma mulher muito bonita, atraente e cobiçada pelos homens.  Imagine o que isso significava para uma mulher pobre, precisando de dinheiro até para o alimento, sendo muito assediada.
  Apesar da discriminação minha vida mudou.  Eu hoje faço parte da galeria dos grandes Heróis da Fé com Abraão, Sara, Joquebede e outros.



   Foi assim que tudo aconteceu...  Eu já tinha ouvido falar no Deus de Israel, que amava o seu povo e fazia milagres para favorecê-lo, além de ser justo e sempre usar de misericórdia para com ele.
   Certo dia fui procurada por dois espias israelitas, que me pediram pousada para escondê-los, porque se os soldados do rei de Jericó os encontrassem, eles seriam mortos.
   Foi um momento de escolha e decisão muito difícil para mim, pois se eu negasse a ajuda eles seriam mortos e se eu os abrigasse e fosse descoberta, eu é que morreria.
   Todos me conheciam como mulher corajosa pela maneira como eu enfrentava os problemas sem me deixar abater. Eu também era misericordiosa, pois não pensava só em mim, mas cuidava de minha família.
   Interessante que eu confiava no Deus de Israel e apresentei-lhes uma condição: Se Israel invadir Jericó, que eu e toda minha família fôssemos poupados.
   Eles concordaram, mas disseram que eu deveria identificar a minha casa, colocando na janela uma corda escarlate e também não poderia revelar nada sobre a presença deles em Jericó.
   Eu os escondi tão bem que os soldados do rei não os encontraram no eirado entre as canas do linho. Depois dei fuga para eles, fazendo-os descer por uma corda, pela janela, pois minha casa ficava sobre o muro da cidade.
   Tempos depois Israel invadiu Jericó, vencendo e queimando tudo, mas eu e minha família fomos salvos, com todos os nossos pertences.
   Eu nunca poderia imaginar que minha vida fosse mudar radicalmente, porque eu confiei no Deus de Israel, agora também meu Deus, que foi fiel e usou comigo de misericórdia.
   Fui viver em Israel e casei-me com Salmon.  Tive Boás, um bom filho, que mais tarde, casou-se com Rute, moabita, que foi bisavó do Rei Davi.
    Eu não disse que a prostituição não era uma opção minha?  Deus restaurou-me colocando-me na posição de privilégio de fazer parte da árvore genealógica de Jesus, o Salvador da humanidade.
   Agradeço a Deus por ter me dado sabedoria para fazer a opção certa e ter acreditado...ajudado...e confiado.  Ele usou-me para fazer parte dos seus  planos em relação a Israel.
   Ainda bem que Deus não é preconceituoso como os homens e está sempre pronto para perdoar e dar nova oportunidade a quem n'Ele confiar.

   Assim como salvou Abraão, que era da classe mais alta, também salvou a mim, Raabe, da classe mais baixa e conhecida como a "Prostituta de Jericó".

Texto de Palmyra Duarte

Nenhum comentário:

Postar um comentário