16 de jan de 2016

Eles somos nós


A Bíblia é o registro da revelação divina. Sendo assim, os episódios, os dramas e também os personagens servem como 'pano de fundo' para revelar o caráter divino. 
A Bíblia não é um livro de biografias, nem hagiografia (descrição de uma vida de virtudes heroicas). As Escrituras não estão interessadas em entretenimento ou 'fofocas espiritualizadas'. O que temos é registro da Revelação de Deus. As histórias, os personagens mostram um Deus que se relaciona, se preocupa, se envolve e deseja travar parceria com a criatura mais parecida com Ele mesmo. Um dos recursos que os autores bíblicos utilizam é o chamado 'antropomorfismo' - colocar sentimentos e atitudes humanas em Deus. Esse recurso é muito útil para tentar entender Deus a partir do nosso ponto de vista.
Quando leio o drama de Abraão e a coragem de enfrentar uma mudança, quando vejo Noé e a maneira como encara o desafio e prepara a arca,  mesmo contra tudo que era visível (Hb 11). Aliás, vale a pena parar para ler o no capítulo dos heróis da fé, Hebreus onze. Lá o autor, depois da imensa lista, questiona; 'que direi mais? Esses dos quais o mundo não foi digno..."
Eles somos nós!
Os personagens são, como diz Tiago, gente sujeita às mesmas paixões que nós, ou seja, gente como a gente. Eles são exemplo positivo e, algumas vezes negativos, que devemos observar. A escolha sempre é responsabilidade nossa, mas gosto de pensar e preciso enfatizar que 'eles somos nós'.
Todos os que seguimos a Palavra, temos exemplos em nossa vida. Quem, quando pensa em vida cristã não tem uma referência humana? Isso ocorre em todas as áreas da vida. Escolhas necessitam de parâmetros.
No mundo das artes fica muito claro que todo artista começa imitando. Na realidade, começa selecionando o que e a quem imitar.

Vou terminar transcrevendo uma parte do livro 'Roube como um artista" de Austin Kleon:
"Copie seus heróis. Perceba onde você fica aquém. O que existe aí que o torna diferente? Isso é o que você deveria ampliar e transformar em seu próprio trabalho.
No fim das contas, a mera imitação de seus heróis não é homenagem. Transformar o trabalho deles em algo seu, sim, é homenageá-los. Dando algo ao mundo que só você poderia conceber"

Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta.
Hebreus 12.1

Nenhum comentário:

Postar um comentário