18 de jan de 2016

Na Primeira Pessoa - Noé (parte 4)

Saímos da arca.
Um passo de cada vez, olhando para todos os lados, saímos.
O mundo é lindo! Era como voltar o tempo, era como um sonho, era como voltar ao primeiro jardim.
E o Senhor caprichou! Tudo estava lindo 'naquela nova casa"!
Não demorou muito e, em silêncio, fui recolhendo pedras e reunindo. Minha esposa, meus filhos e noras fizeram o mesmo. Ali construímos um altar. A arca no alto do monte, o barulho da cachoeira, o cheiro bom de mato molhado... nem sei direito quem começou, mas começamos a cantar:
"Senhor meu Deus, quando eu maravilhado,
Fico a pensar nas obras de Tuas mãos
O céu azul de estrelas pontilhado,
O seu poder mostrando a criação
Então minh'alma canta a Ti, Senhor:
Quão Grande és Tu.
Quão Grande és Tu..."

Nosso primeiro ato não poderia ser outro. Queríamos que agradecer. Agradecer pelo que passou. agradecer pelo que estávamos vivendo e agradecer pelo que começaríamos a fazer. Me senti o novo Adão. Minha família ali e aquela imensa responsabilidade de construir um novo jeito de ser gente.
Sei que vida é feita de ciclos. A natureza é regida por este instrumento. Foi o próprio Deus, o criador, quem prometeu que 'enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão." E continuou, 'dominem sobre tudo, comam de tudo só não bebam sangue'. Sangue é vida! Não derrame sangue. Quem derramar sangue verá seu próprio sangue derramado. Vou fazer um acordo como vocês, disse o soberano. E, num instante o céu revelou um arco multicolorido de uma beleza extraordinária.



Como você acha que passamos aquela noite?
Ali pertinho da cachoeira havia um gruta. Fomos para lá e eu fiquei olhando o céu apinhado de estrelas. Quase que automaticamente voltei a pensar no meu bisavô, Enoque. Enoque andou com Deus, e o Senhor o tomou para si". Lembrei do vô contando a história. Quando a gente é velho as memórias mais fortes são as que repetimos, repetimos, repetimos tantas vezes que parecem que sempre estiveram marcadas lá no fundo do coração.
Dei um sorrisinho de canto de boca e pensei:
Enoque andou com Deus mas eu, eu naveguei com o Senhor.
Sei que não fiz nada para merecer mas Ele se lembrou de mim e de minha família. Vou repetir esta história todos os dias. A arca vai ficar lá no Ararate - lugar sagrado é seu significado. Vou construir uma casa. Vamos estabelecer uma população que teme ao Senhor. Será um paraíso de verdade. Um lugar sem violência, sem desrespeito, sem falcatruas... um lugar de gente que teme e obedece ao Senhor.
-Vem dormir 'home'! Ouvi do fundo da caverna.
E foi ali, naquela noite, que percebi o significado do meu nome. Noé. Noé é descanso, é repouso.
Obrigado Senhor!

"Não tenhas sobre ti um só cuidado, qualquer que seja
Poi um, somente um, seria muito para ti.
É meu, somente meu todo trabalho
E teu trabalho é descansar em mim"

https://www.youtube.com/watch?v=4_7bAF8Je-c&index=21&list=RDQgqAervfz-c

Nenhum comentário:

Postar um comentário